5 áreas que estão bombando no comércio on-line

A reta final de novembro foi de euforia para o e-commerce brasileiro devido à megapromoção Black Friday. O faturamento do comércio eletrônico foi superior a 3 bilhões de reais, 44% mais que em 2014.

Na sexta-feira, dia 27, principal data da ação de marketing, as vendas chegaram a 1,6 bilhão de reais, 38% acima do ano anterior. Entre os itens mais vendidos estiveram os eletrodomésticos (17,2%); telefonia e celulares (16,6%); eletrônicos (9,2%); moda e acessórios (9,1%) e artigos de informática (9%). Essa procura por itens mais caros aconteceu, pois muitas pessoas esperam a data para fazer compras de maiores valores.

No entanto, este não é o perfil anual dos consumidores do e-commerce. Segundo a consultoria e-Bit outras cinco categorias tiveram maior volume de vendas no primeiro semestre de 2015

Elas respondem por quase 60% do total de 49,4 milhões de pedidos realizados no período – e representam boas oportunidades para quem quer fazer sucesso no e-commerce.

1 – Moda e acessórios

Artigos de moda e acessórios foram os campeões de vendas nos primeiros seis meses deste ano, respondendo por 15% do total de pedidos. A categoria ganhou a dianteira no Brasil em 2013, após a entrada no e-commerce de grandes varejistas tradicionais, como Renner, Hering, Marisa e C&A.

As oportunidades mais quentes são ligadas à moda feminina. Segundo dados do Google, hoje 58% dos consumidores de moda no Brasil são mulheres. A maioria (63%) tem entre 25 e 44 anos, e 36% compram a cada dois meses.

Uma nova tendência também tem sido lojas que alugam vestidos e bolsas de grife por tempo determinados, chegando até mesmo a mandar roupas para o cliente provar antes do aluguel ou compra.

Os sapatos femininos são os campeões de vendas da categoria. Na sequência aparecem tênis, vestidos e sandálias femininas.

2 – Eletrodomésticos

Eles ocupam a segunda posição neste ano e representam 13% dos

O consumidor típico tem mais de 40 anos e é acostumado a fazer pesquisa de preços online mesmo quando pretende comprar numa loja física, mas como as condições de preço e parcelamento das lojas virtuais são bem agressivas, muitos acabam optando pela compra online.

A categoria inclui geladeiras, fogões, máquinas de lavar, ventiladores, aquecedores, liquidificadores, entre outros itens.

3 – Telefonia e celulares

A categoria telefonia e celulares foi a que mais cresceu em participação no número de pedidos nos primeiros seis meses de 2015. Responsáveis por 11% do total de transações, esses produtos registraram 54% mais pedidos em relação ao mesmo período de 2014.

A lógica é a mesma dos eletrodomésticos: estimativas internacionais apontam que o e-commerce oferece produtos até 10% mais baratos que nas lojas do varejo tradicional.

No ranking do faturamento, telefonia e celulares são a segunda maior categoria, com 18% do total.

4 – Cosméticos, perfumaria, cuidados pessoais e saúde

Itens de higiene, beleza e saúde formam a quarta categoria mais representativa em número de pedidos no Brasil, com 11% do total no primeiro semestre.

Um campo que tem crescido é o mercado de beleza para homens. Segundo a consultoria inglesa Mintel, 33% dos homens brasileiros dizem que comprariam produtos específicos para eles.

Outro mercado promissor é o de produtos feitos com matéria-prima orgânica, um tipo de cosmético mais difícil de ser encontrado em supermercados e farmácias e que tem consumidores fiéis, como pessoas com algum tipo de alergia.

5 – Livros e assinaturas de revistas

No primeiro semestre, 8% dos pedidos foram livros e assinaturas. Por serem itens de fácil entendimento, livros, revistas, CDs e DVDs caíram no gosto do consumidor que costuma comprar online.

tag: acessorios, e-commerce, eletrodomesticos, livros, loja virtual, moda, perfumaria, telefonia,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.