Autoconfiança: Ninguém confia em quem não acredita em si mesmo





Seguindo na linha de que todo gênio era, também, um grande empreendedor, Vou contar uma história muito interessante de Mozart, grande compositor austríaco, que nasceu em Salzburgo na Áustria em 27 de janeiro de 1756 e faleceu no mesmo país, em Viena, em 05 de dezembro de 1791. 

Já na infância, ele mostrou seu talento excepcional como pianista e violinista, possuindo grande facilidade para compor obras musicais, tanto que aos seis anos compôs seus primeiros minuetos, aos nove sua primeira sinfonia e aos onze sua primeira ópera. Por isso, mesmo vivendo apenas trinta e cinco anos, foiautor de mais de seiscentas obras musicais. Atualmente, é visto pela crítica especializada como um dos maiores compositores da humanidade.

Mas, deixando de lado toda a sua genialidade musical, há uma história sobre a vida de Mozart que é uma grande lição de empreendedorismo para todos nós e vale a pena ser contada aqui.

Conta-se que Mozart tinha um jovem aluno de música, muito dedicado, que sonhava em ser um grande músico. Esse aluno, ao final de cada aula, se aproximava de Mozart e perguntava: 

– Maestro, o senhor acha que eu já estou pronto pra escrever minha primeira sinfonia?

A resposta de Mozart era, invariavelmente, a mesma: 

– Ainda não, meu jovem. Tente um gênero mais fácil primeiro. Escreva um minueto.

E, assim, passaram-se meses. Sempre a mesma pergunta. Sempre a mesma resposta.

Um dia, cansado de ser desestimulado pelo grande mestre, o aluno revoltado depois de ouvir a mesma resposta, resolveu protestar:

– Mas, mestre, o senhor fez a sua primeira sinfonia com apenas nove anos. Então, por que fica me dizendo que eu não sou capaz de fazer uma sinfonia, sendo que já estudei tantos meses com o senhor?

Ouvindo o questionamento, Mozart encarou o aluno, sorriu e respondeu calmamente:

– Você tem razão, eu fiz a minha primeira sinfonia aos nove anos. Mas, havia uma marcante diferença entre nós. Eu não fiquei perguntando a ninguém se eu já estava pronto para fazê-la. Fui lá e fiz. Eu me sabia pronto.

O aluno, calado e envergonhado, retirou-se da sala e nunca mais retornou.

E então, sabe qual era a grande diferença entre Mozart e seu aluno? A autoconfiança. Confiar em si mesmo e no próprio potencial é essencial para quem almeja o sucesso de seus planos. Se você não confia em si mesmo, quem irá confiar?

Portanto, a grande lição que essa pequena história nos passa é essa: Tenha autoconfiança. Saiba-se pronto para executar, sozinho, seus projetos. Não espere que alguém lhe diga do que você é capaz. Confie em si mesmo. Acredite que você é capaz. Lembre-se que ninguém confia em quem não acredita em si mesmo. 

Abraços 

Beto Chaves
www.betochaves.com

tag: beto chaves, empreendedorismo,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.