Como a Vans explodiu no Brasil depois de parceria com a Arezzo

Para a Vans, a fusão com a Arezzo permite utilizar uma grande infraestrutura tecnológica. Principalmente, o sistema de e-commerce que passou a se integrar às lojas físicas.

Como a Vans explodiu no Brasil depois de parceria com a Arezzo
Imagem Reprodução

Vans é uma marca conhecida pelos tênis clássicos usados ​​por skatistas e em escritórios descolados. Atualmente, a marca é distribuída com exclusividade pelo Grupo Arezzo & Co do Brasil desde janeiro deste ano.

Desde então, a marca acelerou o processo de abertura de lojas físicas e espera dobrar o número de unidades até o final do ano. Além disso, a marca espera melhorar a eficiência do e-commerce e utilizar sistemas e redes de logística para integrar suas vendas digitais às lojas físicas.

Desde 1998, a marca se estabeleceu no Brasil e a parceria passou a ser liderada por Maíra Anastassakis, a primeira mulher a ocupar essa posição na marca no Brasil e na América Latina.

“A estratégia, desenvolvida em conjunto com a detentora da marca, é de fincar a bandeira da Vans pelo país”, diz a diretora à EXAME

1. Lojas Físicas

A Vans está atualmente se concentrando na abertura de lojas físicas em mais de 2.000 pontos de venda multimarcas, principalmente no sul e sudeste.

Além disso, atualmente, além de quatro lojas, a marca também possui sete lojas, duas lojas e cinco franquias – quatro delas inauguradas neste ano. Até o final deste ano, espera chegar a 15 unidades físicas, multiplicadas por cinco.

2. E-commerce

Outro foco de crescimento da Vans é por meio do e-commerce. Por isso, além da marca possuir um site próprio, ela também está presente no ZZ Mall, marketplace do Grupo Arezzo que integra todas as marcas de seu portfólio.

Para a Vans, a fusão da empresa permite utilizar uma grande infraestrutura tecnológica. Já que, a partir de janeiro, o sistema de e-commerce passou a se integrar às lojas físicas e vice-versa. Portanto, mesmo que determinada cor ou número não esteja disponível na loja, as compras online podem ser retiradas na loja física, e a loja pode utilizar todo o estoque fornecido pela marca.

Além disso, os vendedores em lojas físicas podem vender pelo Whatsapp, ferramenta indispensável no fechamento de lojas. A Vans também usa o centro de distribuição da Arezzo para aumentar a velocidade de entrega.

Se a Vans foi usada em escritórios em todo o país para substituir sapatos masculinos desconfortáveis ​​ou sapatos de salto alto femininos, a incidência dessa situação aumentou ainda mais nos últimos meses. Por meio da popularidade generalizada e do teletrabalho em casa, a marca ganhou mais atenção aos pés dos consumidores – não só isso. A empresa registrou crescimento nas vendas de moletons, camisetas e até meias.

Embora a marca seja reconhecida no calçado desportivo, o objetivo da loja física é provar que existem muitos outros produtos à disposição. Até os calçados ficam no fundo da loja para que os consumidores possam usar camisetas, jaquetas, bonés e acessórios antes de adquirir os produtos mais populares.

Grupo Arezzo

Após adquirir os negócios da Vans no Brasil, a Arezzo ajustou sua estratégia para uma “casa da marca” e ampliou seu portfólio de produtos para seus clientes. Na semana passada, o grupo adquiriu o Rio de Janeiro Reserva, que opera seis marcas de roupas masculinas, femininas e infantis. Com isso, o grupo atingiu 13 marcas e manteve o apetite por aquisições.

O plano para a reserva é desenvolver um novo departamento de estilo de vida. Foi criado o departamento de AR & Co, que será administrado por Rony Meisler, presidente e cofundador da Reserva. As iniciais do nome são de Arezzo e Reserve, mas também cabem nas piadas de executivos de Alexander e Ron.

Segundo o presidente da Arezzo, Alexandre Birman, o objetivo é manter a Reserve como uma marca independente e com gestão diferenciada. Para Anastassakis, essa era a estratégia do grupo antes da chegada de Vans.

“O grupo sempre trabalhou com uma diferenciação forte das marcas, se não ele mesmo se canibaliza”, afirma. 

O diretor acredita que as vendas das roupas da própria Vans serão separadas do recém-criado departamento na área reservada, e haverá espaço para todos.

Mesmo assim, o fortalecimento da tecnologia e logística do grupo é fundamental para os planos da Vans para este ano. A expansão física da Vans e o desenvolvimento do canal digital foram fortalecidos, o que indica a disposição da Arezzo em investir em seu portfólio de produtos.

“A ideia da house of brands não é apenas trazer novas marcas, mas também soluções e tecnologias novas”, diz Alexandre Birman, presidente da Arezzo, em entrevista à EXAME logo após a aquisição da Reserva.

“Em termos de consolidação, vemos o que deu certo para a Arezzo. Não é só trazer marcas, mas criar uma plataforma que fere eficiência para as marcas”, afirma Rony Meisler, presidente e cofundador da Reserva. 

*Realizado com informações da EXAME

LEIA MAIS: LG confirma que deixará mercado de smartphones em julho

tag: arezzo, FASHION, grupo arezzo, marketplace, moda, vans, vendas na pandemia,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.