De endividados a milionários: conheça a história de Osvaldo e Carla Lucho, da Gigalink

Casal de empresários quebraram duas vezes, mas conseguiram se reerguer com a gigante de internet, Gigalink

Gigalink e seus funcionários./Foto: Gigalink

Um protótipo de centrífuga feito de madeira e tubos de ensaio já previa o sucesso que teria o então jovem Osvaldo Lucho. Mesmo com pouca afinidade aos estudos, Osvaldo conseguiu se destacar na aula de química, virando monitor.

De aluno rebelde para um aluno aplicado foi um pulo. Ele começou a tomar gosto por estudar e acabou fazendo dois cursos profissionalizantes, química e eletricidade. A partir daí o futuro empreendedor nos estudos decolaria. Osvaldo tinha conseguido passar em Engenharia Eletrônica na PUC e na Federal do Rio de Janeiro.

Mas, depois da aposentadoria do pai, os rumos de Osvaldo iriam mudar. Se oferecendo para ajudá-lo com o sítio no interior do Rio Grande do Sul durante suas férias da faculdade, ele conheceu a sua companheira do resto da vida: Carla.

Um churrasco e um encontro literalmente embaixo da ponte Brasil – Uruguai consolidou o relacionamento. Entretanto, tendo que conciliar uma vida no Rio de Janeiro e um amor no Rio Grande do Sul, Osvaldo viu suas notas despencarem.

Dessa forma, Carla tomou a decisão de partir para o Rio. Transferiu sua faculdade e oficializou sua união.

Espírito empreendedor desde sempre

A primeira experiência de Osvaldo com o empreendedorismo foi aos 8, quando vendia seus gibis antigos para comprar novos. Anos mais tarde, assim que conseguiu comprar seu primeiro computador, vendeu para seu professor de física. O curioso desse episódio é que o disco rígido veio com problemas algumas vezes, e, em todas elas, foi Osvaldo que consertou.

Era isso que ele precisava. Vendo que tinha demanda, começou a consertar computadores para complementar sua renda e pagar a faculdade. Com a ideia rendendo, ele abriu sua primeira empresa com mais três sócios. Mas, nem tudo são flores. A pouca participação de dois sócios e a má gestão fizeram Osvaldo e Carla – que também tinha virado sócia – quebrarem. Após um tempo, o casal resolveu investir no ramo de atacado e, mais uma vez, quebraram e acumularam dívidas.

Uma luz no fim do túnel

Dois tombos seguidos serviram para que eles pudessem olhar outros nichos e possibilidades. Voltando a Nova Friburgo, a oportunidade de trabalhar com a instalação de Centro de Processamento de Dados (CPDs) para empresas foi a salvação para quitar as dívidas.

Mirando em oferecer uma banda larga de qualidade, Osvaldo assumiu uma postura de cautela e investiu o que podia em fibra óptica. De início, o serviço era apenas para empresas.

Vendo que seu projeto estava sendo rentável e que a demanda no varejo estava aumentando, Osvaldo, com o apoio do fabricante, bolou uma estratégia para baratear os cabos de fibra óptica. De novo, teve sucesso e seu negócio estava crescendo.

A gigante da fibra óptica

A Gigalink cresceu tanto que, logo após conquistar cinco cidades do Rio de Janeiro, começou a ser cobiçada no mercado por outras companhias.

Em 2015, a Gigalink chegou a um faturamento de 15,8 milhões de reais. De três funcionários, hoje o casal tem mais de 160 e, se depender do seu projeto de expansão, pode aumentar. Nada mal para quem começou com uma dívida de 300 mil reais.

LEIA TAMBÉM:

tag: empreendedorismo, empresario de sucesso, gigalink, informatica, negocios, superacao,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.