Claudemir Oliveira – conheça o especialista em treinamentos que encantou a Disney

Entrevistamos Claudemir Oliveira, que, além de ter sido líder da estratégia global de treinamento da Walt Disney Company, é presidente e fundador do “Seeds of Dreams Institute”, empresa americana, sediada na Flórida, com filial no Brasil, voltada para a área de Programas Corporativos como Clientologia e Psicologia Positiva, desenvolvendo pessoas e corporações com foco na potencialidade humana. Com 25 anos de experiência em marketing, vendas e treinamento, em empresas como Eastern Airlines, American Airlines, United Airlines, The Walt Disney Company (divisão Parks & Resorts), entre outras, já treinou mais de 500 mil pessoas da América Latina, Europa e Ásia. Como se não bastasse, Oliveira também foi professor da Disney University no famoso curso Traditions, referência mundial em cultura corporativa e professor convidado do Disney Institute.

Confira nossa entrevista exclusiva para A Magia do Mundo dos Negócios:


Você atuou por 15 anos na Disney, como a cultura da empresa influenciou sua vida pessoal e profissional?

Quando eu abri o escritório da Disney no Brasil (divisão Parks & Resorts), em 1995, tive, de cara, a primeira lição de cultura. O interessante é que eu já tinha experiência em empresas americanas, pois trabalhei para Eastern, American e United Airlines antes de trabalhar para a Disney. Aqui veio primeiro choque. Nas companhias aéreas, era comum no meu cargo dar “upgrades” para clientes especiais ou o que chamamos de VIP. Só que na Disney, a cultura diz que VIP significa Very INDIVIDUAL Person, ou seja, a empresa considera todos importantes, mas trata todos como indivíduos. Quando eu ligava para Orlando pedindo um “upgrade” por exemplo, de um hotel econômico para um hotel de luxo com o argumento que o cliente era importante, a Disney me respondia que TODOS são importantes, portanto, não temos como dar upgrade para todos. Tem que pagar.

No início, com um pouquinho de dificuldade em entender a cultura Disney, eu decidi estudar a vida do homem Walt Disney. Eu imaginei que se eu conhecesse a fundo a história do criador, entenderia a cultura geral da empresa e bingo, foi a melhor decisão da minha vida. Apaixonei-me completamente pela filosofia do homem e passei a entender em detalhes todas as decisões que tinha de tomar no dia a dia.

Pessoalmente, para um homem que jamais sonharia em conhecer o Mickey Mouse, pelas minhas origens, ter sido o primeiro executivo da empresa abrindo o escritório no Brasil foi algo inexplicável. Depois sonhei em mudar para os EUA e dar aulas na famosa Disney University. Realizei todos os sonhos. Ou seja, a Disney realiza sonhos não apenas de seus convidados (clientes), mas também de seus “cast members” (colaboradores).


Muitas pessoas não sabem que Walt Disney quebrou algumas vezes, conte-nos um pouco como foi esta história.

Conforme expressei antes, o estudo da vida de Walt Disney me deu condições de conhecer a fundo sua história. Aliás, em PRIMEIRA MÃO para a Magia do Mundo dos Negócios, firmei contrato com a editora Senac há um ano e lanço um livro sobre sua vida até final de julho. Este livro é fruto de mais de duas décadas de pesquisa. Nele, entro em detalhes em três falências (as biografias tradicionais só falam em duas) que Walt Disney teve antes de seus 23 anos de idade.

Ele praticamente desistiu da animação com a terceira falência, achando que tinha chegado tarde a este campo. Decidiu que seria diretor de cinema, mas não teve tanta sorte e foi obrigado a voltar às origens de sua arte na animação. E o resto, vocês já sabem: Walt Disney é recordista em ganhar Oscars e pode ser facilmente considerado o gênio de entretenimento do último século.

Podemos dizer que a Disney criou uma filosofia de negócios já comprovada e que funciona. Como empresas em geral, independente da área de atuação, podem implementar um pouco desta cultura em sua empresa? 

A Disney tem um modelo de negócios que pode ser adaptado a qualquer empreendimento. Os princípios básicos da empresa são: Líderes excelentes devem gerar colaboradores excelentes. Esta combinação acaba gerando clientes extremamente satisfeitos e a fidelização. No fundo da pirâmide está o resultado que é visto com mera consequência desse modelo.

Como o storytelling no contexto da clientologia pode potencializar os negócios das empresas?

Clientologia Master – Porto Alegre

Eu costumo usar três palavras para responder esta pergunta: storylistening-storytelling-storyselling. O storytelling é uma consequência direta do conhecimento aprofundado dos clientes (storylistening).

É o processo de escutar o cliente. O storyselling, ou seja, a venda é também consequência. Afirmo, sem hesitar, que empresas que não tenham storytelling estão fadadas ao fracasso. Se você observar, as maiores empresas de sucesso têm uma história para contar.

O storytelling se encaixa perfeitamente dentro do contexto da clientologia do Seeds of Dreams Institute. Sabemos que para encantar um cliente precisamos entrar num nível emocional, pois se trata de inteligência emocional pura. Resumindo, eu preciso contar uma história para o meu cliente. Entenda-se, naturalmente, uma história real, verdadeira e que tenha um toque emocional no processo.

Claudemir cite duas situações da qual a aplicação do conceito da Psicologia Positiva Corporativa por meio de empresários e executivos tem sido fundamental para geração de resultados.

O Seeds of Dreams Institute tem feito um trabalho pioneiro há mais de uma década com este tema tão novo no Brasil, mas bem avançado nos EUA onde esta ciência foi criada. A Psicologia Positiva Corporativa é derivada da psicologia tradicional. O grande diferencial das duas é que o próprio nome positivo indica que focamos mais na potencialidade humana enquanto a tradicional foca nas fragilidades. O que não podemos esquecer é que uma

Psicologia Positiva - São Paulo

Psicologia Positiva – São Paulo

empresa é feita de PESSOAS e,   portanto, pessoas que buscam o   lado positivo das circunstâncias   acabam gerando resultados   positivos para a empresa. Isto sem   contar que o ambiente de trabalho   potencializa também que todos usufruam dessa positividade. Assim como o negativo atrai o negativo, o oposto é também verdadeiro. Então, respondendo sua pergunta, a primeira aplicação deve ser nas pessoas, como indivíduos, e isto acaba gerando resultados extraordinários na empresa. A segunda aplicação é no time como um todo. Organizações como Gallup e Disney já utilizam a Psicologia Positiva.

A Seeds of Dreams, empresa que você fundou e aqui no Brasil tem A Magia do Mundo dos Negócios, como uma de suas parceiras na realização do Programa Clientologia Master, tem investido cada vez mais em nosso País. Qual a importância do Brasil em seus negócios?

Quando fundei minha empresa nos EUA, em 2006, sempre tive a intenção de abrir uma filial no Brasil, mas na época tinha acabado de entrar no meu doutorado na área de Psicologia Positiva, em Orlando. Em 2010, abri a empresa, com o mesmo nome no Brasil para atender a esse mercado gigante.

A ideia é não somente trazer o que há de melhor dos EUA para nosso País, mas também levar aprendizado para nossos clientes americanos das empresas brasileiras que atendemos. Engana-se quem acha que somente os EUA podem ensinar. O empresário brasileiro tem qualidades invejáveis, principalmente no que diz respeito à flexibilidade. Americanos estão acostumados a fazer planejamentos de 5, 10 anos… Isso é inviável para uma economia inconstante como a nossa.

Seeds of Dreams Institute tem parceiros nos EUA e no Brasil. Começamos uma parceria com A Magia do Mundo dos Negócios e um evento em Porto Alegre com resultado extraordinário. Agora, estamos em nosso segundo projeto em Florianópolis, que será em 8 de março. Temos ideia de avançar para Curitiba e em breve Brasília. Nossa parceria vai além de Brasil, já que trabalhamos em conjunto com nossos programas de negócios que acontecem nos EUA durante todo o ano.

Duas razões para essa parceria. Sabia do crescimento orgânico da Magia do Mundo dos Negócios, e, o mais importante, sabia do zelo pelo encantamento ao cliente em tudo o que fazem. Isto foi primordial na minha decisão.


Para concluir, gostaríamos de pedir que deixe uma mensagem aos nossos leitores.

Em momentos de desafio econômico, sempre me lembro de uma frase extraordinária em espanhol que me ajuda seguir em frente, sem medo e com muita coragem. “A mar revuelto, ganancia de pescadores”. Enquanto a maioria das pessoas falam do mar turbulento, eu prefiro jogar a rede. E tem dado tão certo. Aos seus leitores, a mensagem é clara: joguem a rede!


Confira os próximos programas da A Magia do Mundo dos Negócios com Claudemir Oliveira em Curitiba clicando aqui,
e em Porto Alegre clicando aqui

 

Por André Bianchi


tag: claudemir oliveira, clientologia, disney, missão negócios disney,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.