Empresários faturam com venda de milhas de cartões de crédito – Veja como funciona

Atualmente quando se fala em viagem aérea o primeiro comentário certamente será quanto a milhagens do cartão de crédito. Infelizmente não são todas pessoas que usam cartões ou possuem este sistema de recompensa, ao passo que muita gente possui muitas milhas e não a usam. Pensando na economia na hora de planejar uma viagem e observando estes fatos, o empreendedor Max Oliveira, junto do sócio Conrado Abreu lançou em 2013 a MaxMilhas, uma plataforma de venda de passagens aéreas compradas com milhas. Desde então, os empreśarios geraram uma receita equivalente a R$ 30 milhões, com um bilhão de milhas vendidas. Confira a entrevista exclusiva de A Magia do Mundo dos Negócios com o CEO e sócio-fundador da MaxMilhas Max Gaudereto Oliveira:

O que faziam antes do empreendimento?

  • Max Gaudereto Oliveira – Trabalhou na Vale na área de melhoria contínua. Atuou na empresa por três anos, de modo a viver em diferentes localidades do País e ter as viagens como rotina para visitar a família e os amigos em Belo Horizonte (MG).

  • Conrado Abreu – Trabalhou na área de assessoria de investimentos da XP Investimentos, onde esteve por mais de dois anos atuando na captação de novos clientes e atendimento aos já existentes.

Como e quando surgiu a ideia? Qual foi investimento inicial?

Tive uma experiência particular que me despertou para a ideia. Ao tentar comprar uma passagem aérea, no momento do pagamento, recebi a mensagem de que aquela passagem tinha acabado. Ao reiniciar o processo de compra, a passagem que estava anteriormente por cento e poucos reais, custava então quinhentos reais. Esse evento me fez refletir como o acesso à viagem de avião no Brasil ainda é limitado devido aos altos preços praticados para alguns trechos e datas e como várias pessoas no país dependem das companhias aéreas para manterem seus relacionamentos pessoais e/ou profissionais.

Assim, identifiquei a necessidade de viabilizar que mais pessoas conseguissem viajar por preços mais acessíveis. Como já tinha viajado utilizando de milhas de familiares, me veio a ideia de criar um mercado seguro e ágil para que as pessoas que não tem milhas pudessem usar as milhas de outras pessoas que, por alguma ventura, não as utilizariam.

Com essa ideia, juntei-me a dois outros co-fundadores, também mineiros, e criamos, há três anos e meio, a MaxMilhas.

O Investimento inicial no negócio correspondeu a R$ 10 mil, parte dos R$ 28 mil que juntamos em caixa.

A empresa nasceu com objetivo de conectar donos de milhas aéreas a quem deseja voar a preços acessíveis, evitando assim o desperdício dos pontos acumulados nos programas de relacionamento dos cartões de crédito e tornando a passagem aérea mais acessível à população.

Em 2014, a empresa fez parte do programa Start Up Brasil – iniciativa do Ministério da Tecnologia para apoiar Start Ups com alto potencial – e foi selecionada pelo programa de aceleração da 21212 Digital Accelerator, fator fundamental para alavancar nossa visão de negócio e aprimorar nosso desenvolvimento como empreendedores de alto impacto.

Através da MaxMilhas pessoas podem comprar milhas e trocar em passagens aéreas. (Reprodução)

Através da MaxMilhas pessoas podem comprar milhas e trocar em passagens aéreas. (Reprodução)

Houve dificuldades no início? 

A jornada empreendedora tem sido muito mais difícil que eu imaginava. Quando se começa, normalmente se tem uma visão otimista, o que é ótimo. Mas, você acaba se deparando com problemas que te surpreendem. Pensei em desistir várias vezes. Várias questões que eu acreditava que já estavam solucionadas no mercado, não se adequavam as características específicas de nosso negócio, como, por exemplo, um sistema de pagamento online eficiente (demoramos dois anos para de fato resolver esse problema). Quando se empreende com algo inovador, também temos problemas “inovadores”. Para superar não existe uma receita de bolo, mas o ter um propósito realmente forte para estar nessa jornada, ajuda a ter fôlego para superar os caldos.

Tivemos (e ainda temos) as mais diversas dificuldades, entre contratar e reter pessoas excelentes, crescer rapidamente toda a estrutura da empresa, chegar a um número grande de clientes e conseguir superar as expectativas e etc. A capacidade de aprender e agir rápido é o que nos ajuda a superar, a cada dia, um novo desafio.

Como funciona a dinâmica da compra e venda de milhas?

A comercialização de milhas ocorre de forma bem simples. O usuário de todos os programas nacionais Multiplus/TAM, Smiles/GOL, Amigo/Avianca, TudoAzul/Azul e também dos internacionais, a exemplo de American Airlines/AAdvantage, TAP/Victoria, British Airways/Avios e AirFrance/Flying Blue, entre outros, acessa o site e cadastra a oferta de milhas para venda, escolhendo o valor que desejar. Essas ofertas ficam disponíveis em nossa plataforma.

A pessoa que deseja viajar realiza a pesquisa do voo que procura. O nosso site busca todas as opções de voos, mostrando o valor de cada passagem em Reais na companhia aérea, a quantidade de milhas necessária para resgatar cada voo e o preço da melhor oferta de um vendedor cadastrado na MaxMilhas. Assim, é fácil comparar e ver se vale a pena comprar a passagem por meio de milhas de terceiros. A economia média por compra realizada no site é de R$600.

Trata-se, portanto, de uma proposta inovadora, que ajuda a evitar o desperdício dos pontos acumulados nos programas de relacionamento dos cartões de crédito, visto que esses pontos são transformados em milhas e então monetizados por intermédio da MaxMilhas e possibilita que pessoas consigam realizar suas viagens a preços mais acessíveis.

Pode fornecer alguns números?

Em três anos e meio de operação, a MaxMilhas promoveu, aos usuários compradores, uma economia superior a R$ 37 milhões e, aos usuários vendedores, gerou uma receita equivalente a R$ 30 milhões. Foram mais de 100 mil passagens aéreas compradas e mais de 1 bilhão de milhas vendidas. Para este ano, prevemos a comercialização de R$ 100 milhões em vendas de passagens.

Vale lembrar, que o mercado de passagens aéreas nacional é o quarto maior do mundo. Todos os dias são emitidos em torno de 300 mil bilhetes.  No entanto, segundo relatório divulgado pelo Banco Central, em 2014 os brasileiros deixaram de resgatar 53,4 bilhões dos pontos gerados nos programas de relacionamento dos cartões de crédito, o equivalente a 24% da pontuação obtida nesse mesmo ano.

Poderia deixar uma mensagem para os empreendedores que estão iniciando carreira?

Gosto de citar sempre cinco pontos para quem está começando a jornada empreendedora:

  1. Tenha um propósito ou não tenha nada (dinheiro como propósito não funciona!). A trajetória é bem mais difícil do que imaginamos. É preciso de um propósito muito forte para superar os desafios;

  2. Conte sua ideia para todo mundo ou acabará com uma ideia de um 1 milhão de reais sem valor algum. A execução é que agrega valor;

  3. Você vai errar, então erre rápido e aprenda. O sucesso está exatamente no aprendizado de cada erro;

  4. O paraquedas, se aberto logo quando você pula do avião ou perto de chegar ao chão, não funciona. Pense com cautela o momento certo de sair do emprego atual e vá para jornada empreendedora preparado. Se pular do avião sem paraquedas, já se sabe o resultado;

  5. Corra riscos planejados, valide cada ideia com seus clientes. Não importa o quanto você ache sua ideia bacana e sim o valor que os clientes veem na sua execução.

tag: cartao de credito, Entrevista, MaxMilhas, milhagens, milhas no cartao, passagens aereas, vendas,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.