Feira do Empreendedor atrai novo tipo de público





A Feira do Empreendedor do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) que se encerrou ontem (23/02) no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, teve um aumento expressivo na participação do público – estimativa de 20% a mais que 2015.

A principal mudança foi o perfil do público interessado pelo empreendedorismo. Enquanto no ano passado 61% das pessoas que foram à feira eram pessoas físicas, neste ano, 81% do público é formado por pessoas que querem empreender.

Durante a cerimônia de abertura da feira, o presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif Domingos, disse que o Brasil e o mundo estão buscando o empreendedorismo como a grande alavanca do desenvolvimento. “Hoje, podemos afirmar com toda a certeza: quem quer ter um emprego, precisa criar um, por isso, mais do que nunca, nós, o Sebrae, temos como obrigação assumir efetivamente a defesa da micro e pequena empresa, porque o empreendedorismo não tem um ambiente amigável no Brasil, embora a gente tenha se esforçado para ter no Simples uma estrutura de proteção ao empreendedorismo”. Afif reforçou o papel do Sebrae no contexto econômico atual e pediu também o apoio dos estados. “Temos que trabalhar em rede porque mais do que nunca o Brasil precisa do empreendedorismo e de enfrentar a burocracia sufocante e a carga tributária paralisante nas atividades, para que a gente possa cumprir a nossa maior missão social, que é gerar emprego e renda”, defendeu.

Marcelo Salomão conta que o perfil de visitantes mais frequente é o de novos empreendedores. (Arquivo Pessoal)

Expositor da Feira do Empreendedor há algumas edições, o diretor de negócios da Gigatron Franchising, Marcelo Salomão, contou que notou um perfil de pessoas mais maduras, focadas em iniciar o primeiro negócio. “Acredito que essa mudança esteja acontecendo em função de dificuldades em alguns profissionais que foram demitidos em se recolocar no mercado. Muitos querem empreender em novos negócios”, detalhou.

 Experiente no mercado de softwares digitais, Salomão aproveitou a feira para trabalhar estratégias da empresa e fechar negócios para sua franquia. “O volume está normal, como nos últimos anos. Devemos fechar cerca de 7 unidades durante a feira e 20 unidades durante o mês”, revelou.

Críticas

Apesar do grande movimento da feira, o Sebrae foi criticado nas redes sociais pela proibição da entrada de menores de 14 anos no evento. Mesmo com a ampla divulgação da regra, muitas mães interessadas em empreendedorismo não gostaram da proibição e tentaram entrar na feira, sendo barradas pela organização na porta do Pavilhão. “Que tal criar um “espaço kids”? Envolver a criançada em um mercadinho, atividades de educação financeira? Uma atitude mais simpática e inteligente seria muito mais interessante!”, opinou uma seguidora do Sebrae no Facebook.


tag: empreendedorismo, exposição, feira do empreendedor, Gulherme Afif, negócios, Pavilhão de Exposições do Anhembi, sebrae, Serviço Brasileiro de Apoio aos Micro e Pequenas Empresas,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.