Gourmetzinho: chef faz sucesso com a venda de papinhas para bebês

Ao falarmos de um chef de cozinha, imediatamente imaginamos uma grande equipe em uma cozinha equipada de algum grande restaurante, que recebe pessoas bem-sucedidas, artistas e famosos, principalmente em São Paulo. A gastronomia é uma das carreiras do momento, porém, nem sempre envolve tanto glamour e oportunidades para todos que cursam esta faculdade. Mas, fato é que provavelmente bem poucos seguem pela gastronomia pensando em desenvolver algo para crianças, muito menos bebês que estão iniciando sua primeira experiência com a comida.

Este também não foi o primeiro objetivo do chef Amilcar Azevedo, que possui um restaurante há 8 anos. Mas, ao ter seu primeiro filho Bernardo iniciando sua alimentação fez questão de preparar em escala sua comida da semana, pensando sempre no sabor, nutrição e textura ideal. Logo os amigos começaram a notar suas papinhas e querer também, e, percebendo uma oportunidade de mercado, ele e a esposa Karolina Azevedo criaram a Gourmetzinho, uma empresa focada na alimentação 100% natural, sem conservantes e nutritiva para as crianças a partir dos seis meses. Hoje o casal tem dois filhos, Bernardo, 3 e Benjamin, 1,  que se alimentam 100% de Gourmetzinho. Confira a entrevista de A Magia do Mundo dos Negócios com o chef Amilcar Azevedo, do Gourmetzinho:

Após ter a ideia de iniciar o negócio, quais foram os primeiros passos?

Tivemos a ideia em 2014, mas só colocamos em prática mesmo quando o nome surgiu ao fim do ano,  em um insight no meio da noite. Falávamos sobre o negócio das papinhas, pensando em um nome com apelo legal, descolado e infantil e surgiu o Gourmetzinho. Registramos a marca, bolamos a comunicação visual e demos o start em uma pequena cozinha. O plano desde então é a venda direta, com encomendas pela internet e telefone e entrega na grande São Paulo. Com o tempo surgiram alguns pontos de revenda, como a rede Mundo Verde e estabelecimentos em Santos (SP), Campinas (SP) e no Rio de Janeiro (RJ). Hoje o negócio cresceu e estamos em uma cozinha 20 vezes maior.

Então a venda direta acontece somente em São Paulo?

Além da grande São Paulo, estamos começando uma operação de venda direta no Rio de Janeiro, no mesmo sistema delivery de São Paulo. Penso em seguir este caminho por enquanto.

O negócio começou quando Amilcar preparava papinhas para Bernardo. (Divulgação)

O negócio começou quando Amilcar preparava papinhas para Bernardo. (Divulgação)

Como as pessoas reagem ao saber que um chef se dedica a papinhas infantis?

Ainda tenho meu restaurante, mas quando falo do Gourmetzinho sempre desperto interesse. Mas a gastronomia tem muitas áreas possíveis, assim como a música, que foi minha primeira faculdade. Mas, por incrível que pareça, meus clientes da Gourmetzinho dão “mais trabalho” do que os do restaurante.

Por que?

Atendo 10 mil pessoas ao mês no restaurante, mas elas estão ali por uma celebração, por lazer. Já as mães e pais do Gourmetzinho são “leões” que querem o melhor para seus filhos, são rigorosos, querem saber detalhes, tem medos, inseguranças, etc. É a primeira refeição dos filhos deles e isso é complicado, pois muitos podem rejeitar a comida.

E qual a precaução na elaboração das receitas para trazer uma primeira experiência satisfatória com a comida?

Primeiro eu bolo a combinação dos ingredientes, focando no sabor final, depois mando para a pediatra parceira da marca, que avalia a faixa etária, possíveis alérgenos, algo que possa ser contrário na alimentação e coisas do tipo. Então se precisar eu altero e envio a nutricionista responsável, que levanta a tabela nutricional, confere se proteínas e calorias estão equilibradas, por exemplo e então eu faço ajustes e envio para a vigilância sanitária para registrar.

Quantas papinhas são vendidas atualmente?

Hoje temos 22 papinhas e nossa venda mensal é de 14 mil unidades, mas queremos dobrar até o final do ano. Temos três fases: a um, com alimentos para crianças de seis a nove meses, com cinco sabores; a dois, de nove a 12 meses, também com cinco sabores; e, por fim, a fase três, a partir de um ano, com sete variedades.

A linha conta com 22 sabores de papinhas, de acordo com a faixa etária. (Divulgação)

A linha conta com 22 sabores de papinhas, de acordo com a faixa etária. (Divulgação)

Qual é o diferencial comparado às papinhas industrializadas, vendidas nos supermercados?

As diferenças são:

  • sabor: é uma comida boa, cheirosa, que as mães até comem se sobrar.
  • textura: todas são moles, mas exploramos as texturas, pois as industrializadas têm sempre o mesmo aspecto, são pasteurizadas e a criança que só come este tipo de comida acaba sendo prejudicada na alimentação posterior que leva a doenças e obesidade. Então estimulamos seu paladar com sabores e texturas.
  • quantidade de fibras e vitaminas: ela é preparada, embalada e congelada e há pouca perda nutricional. Já as industrializadas passam por um processo que eleva a temperatura, perdendo vitaminas, nutrientes e fibras.

Qual seu conselho para os empreendedores que estão iniciando carreira?

Primeiro, muito planejamento; segundo, pesquisar muito o mercado, concorrentes, quem compra, vende e quanto custa; terceiro, arriscar o mínimo possível, principalmente se for dinheiro do próprio bolso. Nós começamos dentro da nossa capacidade, sem sacrifícios e aos poucos ganhamos forma. Faça o que você sabe fazer, principalmente. Muita gente vê nosso negócio no Facebook, por exemplo e comenta: fulano, vamos fazer?, porém não tem ideia dos cuidados, equipamentos necessários, e a tamanha responsabilidade.

tag: chef cria papinhas para bebes, gourmetzinho, gourmetzinho papinhas, papinhas naturais, papinhas para bebes, papinhas sem conservantes,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.