Investir em vitrinismo ajuda a driblar a crise e vender mais

É em momentos difíceis na economia que a superação e a capacidade de inovação podem contribuir para minimizar os impactos negativos nas finanças das empresas. Uma boa saída para algumas marcas, principalmente aquelas que têm na exposição de seus produtos ao consumidor sua principal estratégia de comercialização, pode estar no investimento em vitrinas e mobiliários personalizados. Para tratar deste espaço de forma criativa, pensando no fortalecimento do caixa, é preciso uma dose de conceitos técnicos, de iluminação adequada, de equilíbrio de materiais a serem aplicados e de cores que reforcem a qualidade da mercadoria e, ainda, de mobiliários que estejam em harmonia com todo o ambiente.

“A vitrina é um investimento. Muitos estudos mostram que a vitrina e os mobiliários de produtos são os principais vendedores da loja. Elas mostram o que o estabelecimento oferece, para qual público e a que preço”, diz Érika Javaroni, docente do Senac de Jaú (SP) e especialista no assunto. Atentos a essa realidade, comerciantes e lojistas estão reforçando a valorização do design de espaços comerciais desenvolvido pelos vitrinistas, não só no setor de moda e confecções, mas em praticamente todos os ramos do varejo – inclusive o da alimentação. Javaroni garante que uma vitrina bem montada, com foco no cliente, é sempre um excelente negócio e traz resultados significativos para a marca. “Um produto bem exposto em uma vitrina traz o consumidor para a sua loja”, ressalta. Quando isso acontece, as chances do cliente levar para a casa o que está à mostra são bem maiores.

Mobiliário especializado

Especialista na construção personalizada de mobiliário para o varejo, sobretudo para supermercados, o sócio-proprietário do Grupo Ecoart, Luis Henrique Di Donato, conta que o setor vem cada vez mais se preocupando em oferecer mobiliários de qualidade que ressaltem a estética da disposição dos produtos, independentemente do tamanho do estabelecimento. “É possível perceber que há uma preocupação muito grande na revitalização destes espaços e em expor bem os produtos aos consumidores. Mesmo os pequenos estabelecimentos procuram por mobiliários personalizados que caibam em um espaço já determinado e, principalmente no bolso do empresário”, diz Di Donatto, que tem 35 anos de experiência no setor supermercadista.

Para o empresário, a maior demanda tem sido por mobiliários e vitrinas produzidos em madeiras ecológicas nas quais é possível agregar outros elementos de composição, como metais, vidros, acrílicos, espelhos entre outros. “É possível ter um mobiliário moderno e atraente para o consumidor, em todos os departamentos do supermercado, gastando muito pouco e ampliando o conforto”, explica Di Donatto. Frutas, verduras e pães ganham um sabor especial quando os produtos estão dispostos de forma que facilite a visualização, o alcance e o acesso do consumidor.

Espaços especiais

Um dos departamentos que tem se transformado em “queridinhos” dos consumidores nos supermercados é o de bebidas. Antes organizados em gôndolas padronizadas, hoje já ganham espaço em adegas personalizadas, um ambiente à parte do restante do estabelecimento. “É um local bastante intimista, construído geralmente em madeira de reflorestamento ou de demolição. A intenção é transmitir ideia de um espaço artesanal, muito nobre dentro dos supermercados”, diz Di Donatto. No Brasil, o investimento em construção de adegas e outros espaços personalizados crescem de forma exponencial e é impulsionado por clientes que passam a se informar mais sobre o mundo, o contexto do produto e a exigir boas opções de compra dos comerciantes. Nesse contexto, o varejista precisa estar atento às novas tendências do seu cliente e, principalmente, saber traduzi-las em suas operações.

tag: crise, loja diferenciada, móveis personalizados, vender mais, vitrinas, vitrinismo,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.