Loft recebe o maior aporte da história do ecossistema brasileiro de startups

A Loft com menos de quatro anos de operação recebeu um investimento de US$ 425 milhões.

Imagem: Alexandre Battibugli/Veja SP

A Loft está em operação há menos de quatro anos e acaba de receber a contribuição da maior startup da história do Brasil.

O investimento de US$ 425 milhões, aproximadamente R$ 2,3 bilhões, foi liderado pelo fundo norte-americano D1 Capital. Assim, o fundo apresentava pelo menos uma dezena de outras instituições de capital de risco e private equity.

A série D do Loft usou fundos da GIC, Whale Rock e Invesco para ultrapassar os US$ 400 milhões levantados pelo banco digital Nubank no início deste ano.

Além dessa conquista, o investimento na plataforma de compra e venda de imóveis elevou o valor de mercado da proptech. Já que, agora a empresa está com um valor de mercado de US$ 2,2 bilhões, consolidando ainda mais sua posição como unicórnio.

A startup se tornou unicórnio em 2020, após captar US$ 175 milhões em financiamento Série C.

Em entrevista exclusiva à Forbes, o cofundador e CEO da Loft, Mate Pencz, disse que as contribuições da empresa e as avaliações atuais são os resultados do desenvolvimento da plataforma durante um ano.

Além disso, os principais fatores de sucesso da empresa são o fortalecimento da cultura de e-commerce no Brasil. Já que, a possibilidade de compra 100% digital dos imóveis foi um diferencial no período da pandemia.

A movimentação financeira pode representar o primeiro passo da Loft em direção a um IPO (oferta pública inicial), embora esta seja uma realidade distante.

“A maioria dos investidores que entraram nessa rodada não investem em empresas privadas. O foco deles está mais em companhias públicas”, diz Pencz. “Eles estão colocando um pé forte na Loft que, na visão deles, deveria ser em médio ou longo prazo uma empresa de capital aberto.”

Assim, a empresa investirá grande parte dos US$ 425 milhões para criar novos recursos da plataforma e aumentar a experiência do usuário.

Além disso, Pencz disse que cerca de 95% do foco da Loft é buscar novas oportunidades para fortalecer seu core business.

Amazon é a grande inspiração do CEO da Loft

Em entrevista à Forbes, o CEO da Loft revelou sua inspiração para os próximos anos: a gigante do varejo Amazon. Apesar de pertencer a um ramo de atividade diferente, a proptech espera replicar a facilidade de compra desenvolvida pela empresa criada pelo homem mais rico do mundo, Jeff Bezos.

“Comprar alguma coisa na Amazon é uma experiência extremamente prazerosa”, diz. “Já no mercado imobiliário, essa experiência não é igualmente positiva.”

O processo de compra e venda de imóveis é demorado e quase sempre burocrático. Segundo Pencz, são mais de 180 etapas, desde a intenção de compra do apartamento até a realocação. A perspectiva é que, com o investimento, essa jornada se torne cada vez mais digital na Loft.

 “Nós já conseguimos comprimir muitas etapas desse caminho”, afirma. “[Queremos] deixar tanto o vendedor, quanto o comprador mais feliz e tirar a fricção, fazendo a experiência mais feliz, transparente e agradável.”

LEIA MAIS: Mondelēz International adquire a Grenade, uma empresa líder em nutrição de desempenho no Reino Unido

tag: investimento em startups, loft, STARTUP, startup brasileira, startup unicórnio, STARTUPS, unicórnio brasileiro,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.