Marca de Luciano Huck é acusada de racismo após pendurar manequins negros de ponta cabeça

A marca de roupas Reserva do apresentador Luciano Huck foi alvo de críticas na última semana. Em uma de suas promoções a unidade do shopping Rio Sul, no Rio de Janeiro, exibiu manequins negros pendurados de ponta cabeça por uma corda nas vitrines da loja.

A ideia foi considerada ofensiva pela maior parte do público e a marca foi alvo de críticas na internet. Segundo os comentários, a campanha teria feito alusão à práticas de tortura e racismo. A empresa se defendeu em sua página no Facebook dizendo que “até a marca é posta de cabeça para baixo, mas isso a foto do autor dela não mostra”, remendando quem postou fotos criticando a loja.

Esta não é a primeira vez que a Reserva se envolve neste tipo de polêmica. No ano passado, as vitrines tiveram manequins com cabeças de veado e macaco com os dizeres “O preconceito está na sua cabeça”. Militantes de causas raciais e da diversidade taxaram como “irônica” a atitude da marca.

A loja virtual UseHuck do grupo Reserva também recebeu críticas negativas quando lançou uma camiseta com os dizeres “Somos todos Macacos”, após o episódio em que bananas foram atiradas a um jogador de futebol negro.

O caso atual em que os manequins estão pendurados de cabeça para baixo está sendo investigado pela Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, após denúncia do movimento SOS Racismo Brasil.

tag: banana, luciano huck, macacos, manequins pendurados, negros, ponta cabeça, racismo, reserva, use huck, usehuck,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.