Empresário relata dificuldades no início de e-commerce, mas conquista espaço na Dafiti

Montar uma loja virtual parece a solução perfeita para quem não tem capital suficiente para investir em um espaço físico. Além disso, a internet tem sido a forma mais promissora e em maior crescimento quando o assunto é venda. Mas, não basta desenvolver um projeto e iniciar vendas, contando com anúncios no Google e Facebook para alavancar uma marca. Assim como em um negócio físico, é preciso pesquisa de mercado, táticas bem definidas e muita pesquisa e negociação com fornecedores para conseguir melhores preços. Quem pode comprovar isto é o empresário Ronaldo Adriano Stabile, que junto dos sócios Meryellen Souza Lima Stabile e Wilimar Cassio Nunes fundou a SodBoa, marca com modelos próprios de roupas femininas, que passou por poucas e boas antes de chegar ao modelo final. Mas, menos de dois anos após o lançamento a marca conquistou espaço em uma das principais marketplaces da internet, a Dafiti. Confira a entrevista de A Magia do Mundo dos Negócios com Ronaldo Adriano Stabile, da SodBoa:

 

A ideia era fazer chinelos, depois roupas masculinas e femininas. Como chegaram a ideia final?
A ideia inicial era produzir chinelos, mas como o investimento inicial era elevado e mesmo com o capital disponível dos três não era suficiente, entramos em contato com a estilista Barbara Citro Negrão e decidimos iniciar uma parceria. Fizemos pesquisa de mercado, definimos público-alvo, desenvolvemos o método do negócio e arregaçamos as mangas. Porém, pela inexperiência acabamos cometendo o erro de lançar peças femininas e masculinas, além de outros que hoje identificamos como não necessários para nosso foco.  Acabamos errando também nos investimentos no Google e Facebook e em algumas negociações, que nos deixaram com custos acima da concorrência.

Peça coleção 2015/2016 SodBoa (Divulgação)

Peça coleção 2015/2016 SodBoa (Divulgação)

Já na coleção 2015/2016, direcionamos para o feminino, com foco na linha Boho (Folk), e aí as vendas começaram a realmente acontecer. A partir de janeiro deste ano enxugamos a estrutura de custos, o escritório agora é na minha residência, dispensamos funcionários e estou tocando tudo sozinho. Tudo começou a mudar em fevereiro, quando conseguimos vender nossos produtos pela marketplace Dafiti, que criou uma condição de alavancagem nas vendas.

Por que optou pelo e-commerce?
Pela nossa limitação de capital para investimento, pela ideia de construção da marca o que não seria bem o foco de uma loja física inicialmente, por acreditar muito que o mercado de vendas on-line, no Brasil ainda é um embrião e que vai crescer exponencialmente nos próximos anos.

Atualmente vendem somente peças femininas?
Vendemos roupas femininas de fabricação e desenvolvimento próprio, disponibilizamos também desde fevereiro calçados femininos de alguns parceiros fabricantes aqui da nossa cidade, Birigui. Neste caso não estamos usando nossa marca mais a do próprio fabricante, é uma maneira que encontramos de maximizar o uso da estrutura.

O que aprenderam com os erros?
Basicamente, começamos um negócio de moda investindo forte em alguns detalhes como produção de moda na primeira coleção, e identificamos que não é isso que faz a diferença na venda pela internet, agora fazemos fotografias apenas em estúdio, com especificações corretas para melhor apresentação pela internet.

Empresários acabaram decidindo vender apenas roupas femininas. (Divulgação)

Empresários acabaram decidindo vender apenas roupas femininas. (Divulgação)

Como inseriram suas peças no marketplace Dafiti?
Já vendíamos pelo marketplace da Kanui desde Setembro de 2015, mas no final do ano a Dafiti foi adquirida pelo mesmo grupo que comprou a Kanui no início de 2015 e assim que começaram a ampliar os parceiros recebemos uma carta convite.

A ideia é fazer parceria com lojas físicas também?
Sim, já desenvolvemos parceria com uma loja na cidade de Birigui (SP) e outra em Araçatuba que estão próximas a sede, tentamos buscar outras lojas no eixo de Bauru até Três Lagoas (MS) ainda sem sucesso, tentamos através de vendedores, porém nossos custos ainda não estão competitivos. Estamos trabalhando nisso e pretendemos chegar a 10 lojas até o final do 1º semestre de 2016 em meio de parceria.

Quais são os planos para o futuro?
No momento estamos reestruturando nossas campanhas de Adwords e Facebook, estou buscando cursos com especialistas da área, também estamos aguardando aprovação em novos marketplaces, e, principalmente, buscando novos fornecedores com o objetivo de reduzir os custos.

Qual sua dica para os empreendedores que estão iniciando carreira?
Minha dica para os empreendedores que estão iniciando é que comecem pelo simples, ganhem confiança e cresçam de forma orgânica, nosso erro maior foi este, começar fazendo os que os grandes fazem e não é por ai.

tag: dafiti, e-commerce, Entrevista, loja virtual, Ronaldo Adriano Stabile, Sodboa, venda de roupas, vendas,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.