Mercado Livre começa a construir tripé de negócios para melhorar entregas aos clientes

Mercado Livre, empresa argentina de tecnologia, descarta disputa por Correios e  começa a montar tripé de negócios

Mercado Livre começa a construir tripé de negócios para melhorar entregas aos clientes
Imagem Reprodução

No ano passado, com o forte crescimento das compras virtuais e finanças, o Mercado Livre reservou R$ 10 bilhões para investimentos em 2021, a maior parte destinada à área de logística que pode se tornar sua terceira maior área de negócios.

“Por enquanto, estamos trabalhando para solucionar, facilitar e agilizar a entrega das vendas dos clientes”, diz Stelleo Tolda, presidente do Mercado Livre para a América Latina. “Mas quando esse gargalo estiver resolvido, podemos oferecê-lo a terceiros.” 

Até o final do ano, esses recursos irão aumentar o número de funcionários no mercado livre dos atuais 5.000 para mais de 10.000.

A expectativa é que a Mercado Envios, siga um caminho semelhante ao do braço de serviços financeiros do Mercado Livre, Mercado Pago.

O Mercado Pago nasceu para resolver o problema de pagamento dos vendedores do maior shopping virtual da América Latina e demorou dez anos para se tornar relevante na plataforma.

Hoje, ele foi autorizado pelo banco central a atuar como uma carteira virtual (com direito a retornos superiores à poupança), como um processador de pagamentos (e máquinas no varejo físico) e como uma instituição financeira (para aumentar a receita das instituições financeiras ) Limite de crédito, etc.).

Mercado Pago

Esses serviços são vendidos para terceiros. Já o próximo passo é oferecer opções de investimento para quem tem dinheiro no Mercado Pago, mas não concorre com as plataformas da plataforma (como XP).

Com esse crescimento, o setor financeiro hoje repassa mais recursos do que o próprio shopping virtual. No ano passado, em 18 países latino-americanos onde existem mercados livres, quase US$ 50 bilhões em pagamentos foram processados. As vendas das lojas nesta plataforma totalizaram 20 bilhões de dólares americanos.

Em 2019, eram 28 bilhões de dólares americanos e 13 bilhões de dólares americanos. No ano passado, o Brasil respondeu por mais da metade do lucro líquido da empresa, e o real aumentou 120%.

Embora o Mercado Pago gere mais dinheiro do que o mercado, os vendedores na plataforma tornam o Mercado Livre mais recompensador.

“Um dos nossos objetivos é incluir as pessoas no sistema financeiro e, portanto, as taxas cobradas são mínimas”, diz Ricardo Lagreca, diretor jurídico e de relações governamentais do Mercado Livre.

Há um longo caminho a percorrer antes que o Mercado Envios se transforme em um distrito comercial. O investimento em 2021 é de 10 bilhões de reais, o que equivale ao investimento alocado ao projeto nos últimos quatro anos. Entre outras coisas, o dinheiro será usado para construir centros de distribuição e contratos de logística e tecnologia.

Mercado Livre dispensa Correios

Por outro lado, está totalmente descartada a possibilidade de utilização de recursos para entrar na disputa final pelos correios.

“Os Correios não são pensados para a eficiência que buscamos”, diz Tolda. “Como brasileiros e grandes usuários do serviço, queremos que ele melhore sempre, mas nosso modelo é outro.”

Na verdade, apesar de haver mais carros, caminhões e até aviões com a marca da empresa estampada o Mercado Livre não quer se tornar uma agência de correios privada ou construir sua própria gigantesca agência de distribuição.

“Somos uma empresa de tecnologia”, diz Tolda.

Ou seja, isso significa que o sistema que desenvolveram e investiram conversou com grande parte das empresas de logística do país e traçou a rota mais eficiente para cada tipo de carga, com o menor custo e prazo de entrega. Mas ainda faltam muitas coisas, principalmente pelo tamanho do país.

Nova fronteira do Mercado Livre

Se 95% das entregas no mercado livre eram feitas pelos correios há três anos, apenas 5% das entregas são realizadas por essa rota hoje.

Em uma das áreas desenvolvidas, assim que o clique de venda for concluído, haverá depósitos que armazenam as mercadorias de 10.000 zeladores virtuais, que serão despachadas imediatamente.

Em outro modelo, o Mercado Envios coleta produtos em pontos de coleta e os distribui. O menor canal, mas ainda muito importante, é a remessa do próprio vendedor, os correios.

“A nova fronteira dos marketplaces chama-se logística e todas as empresas da área estão correndo atrás de soluções para prestar o serviço mais rápido de entrega de mercadorias”, afirma Eugênio Foganholo, sócio da consultoria especializada em varejo Mixxer. “Não é à toa que o Magalu está comprando startups que resolvem o último trecho da entrega e a B2W também caminha nessa direção.”

De acordo com Foganholo, essa diferença geralmente é crucial para ganhar vendedores, e os vendedores geralmente têm lojas virtuais em todas as plataformas concorrentes.

“Os grandes marketplaces estão se tornando seres tentaculares, com braços fortes em toda a prestação de serviços aos lojistas e clientes finais”, afirma.

“No desafio da logística, o próximo obstáculo a ser superado é o do transporte de alimentos.” 

Nessa área, no mês passado, o Mercado Livre firmou parceria com o GPA. A parceria com a entidade das redes Pão de Açúcar e Extra tinha como objetivo testar entregas de alimentos não perecíveis.

LEIA TAMBÉM: XP Investimentos troca de CEO e Benchimol assume função estratégica

tag: empresa, mercado livre, tripé de negocios,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.