Planejamento Financeiro: Cinco Dicas de Finanças Pessoais em 2021

Como você faz hoje o seu Planejamento Financeiro?

Seja qual for a resposta, terminando o mês no vermelho ou no azul, sempre dá para melhorar a sua relação com o dinheiro. Por isso,  Ana Paula Bellino, executiva da Digio Bantech, lista recomendações para te auxiliar no controle de gastos e para evitar perder dinheiro.

Planejamento Financeiro: Cinco Dicas de Finanças Pessoais em 2021

Apesar de o ano de 2021 ter sido esperado por muitos, os reflexos da pandemia ainda serão sentido nesse ano que se inicia. Além disso, se você considerar que janeiro é o mês do pagamento, deverá somar os gastos de IPTU, IPVA e matrícula escolar, além das dívidas da Black Friday e do Natal. Portanto, manter sua conta pessoal em dia é imprescindível.

“O mercado brasileiro é marcado pelo alto endividamento, principalmente pela facilidade em financiar a dívida por meio do parcelamento no cartão de crédito, o que dá poder de compra ao consumidor”, explica Ana Paula Bellino, superintendente de produtos e marketing do Digio, uma “bantech” que reúne a solidez de dois grandes bancos, Bradesco e Banco do Brasil, com o DNA de inovação de uma fintech.

No entanto, uma grande parcela da população brasileira se reinventou em termos culturais. Uma vez que, se tornou necessário guardar parte da renda devido às inseguranças financeiras que a crise provoca. “Cerca de 80% de nossos consumidores mudaram seus hábitos para gastar de maneira mais saudável, mas não necessariamente menos, e ficar longe da inadimplência durante o período”, afirma Ana Paula.

Então, para ajudar ainda mais na organização do seu planejamento financeiro, a Ana Paula elaborou uma lista de dicas para prestar atenção em 2021. Confira abaixo:

Dica 1: Fuja dos juros rotativos

Nesse momento, é de extrema importância evitar o acúmulo de juros rotativos no seu cartão de crédito. A ajuda financeira fornecida pelo governo durante a pandemia acabou, mas o país ainda está em crise econômica.

“Isso é uma bola de neve nas finanças. Ele confunde o consumidor na hora de pagar as parcelas, pois os valores variam diária, semana e mensalmente e, no final, a pessoa fica ainda mais endividada”, aponta Ana Paula. “Por isso é tão importante entender a fatura e saber quanto de juros se está pagando”.

O ideal é pagar a conta inteira. No entanto, se isso não for possível, outra solução é parcelar a dívida a uma taxa de juros fixa. Por exemplo, no Banco Digio, é de 9,9% ao mês.

Portanto, o cliente sabe qual será a fatura e não pagará de 180% a 250% dos juros rotativos por ano, como são cobrados pelo cartão de crédito, que é quase quatro vezes o valor da dívida. “Caso o banco não ofereça essa opção no cartão de crédito, busque soluções que não coloquem suas finanças nesse beco sem saída”, sugere a executiva.

Dica 2: Evite outras taxas e tarifas desnecessárias nas suas financias

O início do ano é a época em que as pessoas fazem as contas para ver se vão precisar abrir mão para pagar os gastos. Uma opção para economizar, à qual muita gente talvez nem tenha se atentado, são as tarifas cobradas de produtos financeiros.

“As pessoas não conhecem a gama de alternativas que não cobram tarifas”, diz a superintendente do Digio. Já que, por exemplo, o banco não cobra tarifa para abertura ou manutenção de conta corrente. Nem para fazer transações como TED, Pix ou até transferência Peer to Peer (envio de fundos de cartões de crédito ou do banco para outro usuário a partir de um smartphone ou via internet por meio do banco).

O Digio também oferece um cartão de crédito sem anuidade e com limite de crédito semelhante ao valor disponibilizado caso houvesse a cobrança. “No médio prazo, é muito benéfico para o consumidor ir atrás de portfólios de serviços bancários com isenções ou taxas reduzidas.”

Dica 3: Faça seu dinheiro render no seu planejamento financeiro

Essa dica é essencial para qualquer planejamento financeiro pessoal. No entanto, os consumidores não se informam sobre como é possível investir o dinheiro que sobra todo mês na conta corrente. O ideal é fazê-lo render e sacá-lo no mesmo dia.

“Pessoas mais tradicionais deixam o dinheiro em poupança ou investimentos que não fazem mais sentido, pois rendem pouquíssimo por causa do cenário macroeconômico brasileiro atual”, orienta a executiva do Digio. O banco remunera 100% do CDI (títulos emitidos por bancos) e tem liquidez diária. Como é automático, o cliente não precisa se preocupar com entraves burocráticos para saber como resgatar.

Ana Paula acredita que ainda é preciso vencer uma barreira cultural do brasileiro, que não tem o hábito de fazer o dinheiro render. “As pessoas pensam: tudo bem, mês que vem vou gastar mesmo, mas já se passaram 30 dias que você perdeu a chance de fazê-lo render.”

Dica 4: Compre com cashback

Uma outra dica valiosa para o seu planejamento financeiro é o cashback. Apesar de ser uma dica atrelada a consumo, ela é importante, pois ajuda a recuperar parte do dinheiro gasto. “Se você precisa ou quer realmente comprar algo, procure alternativas de desconto na compra”, orienta a superintendente do Digio.

O banco, por exemplo, tem parceria com diversas lojas de e-commerce – Netshoes, Centauro, Fast Shop, Cobasi, Nike, Eudora, RiHappy e O Boticário, entre outras. Se a compra for feita pelo app do Digio – clicando na oferta e indo para o site do parceiro – o cliente ganha até 20% do valor da compra de volta, o chamado cashback. “Tem gente que compra uma TV de 2.000 reais nessas lojas e poderia receber até 340 reais de volta”, exemplifica a superintendente do banco.

Dica 5: Reúna suas informações em um só lugar

Atualmente, é muito fácil baixar aplicativos de planejamento financeiro, cartão de crédito e conta corrente, pois há vários produtos gratuitos, especialmente os digitais. O resultado: consumidores adquirindo vários produtos e perdendo o controle de todos.

“No momento atual, com pandemia e dificuldades financeiras, é adequado reunir suas finanças em uma só solução, pois essa desorganização – ter um pouquinho em cada um – pode levar a um eventual deslise ou esquecimento de quanto você tem para pagar as contas, especialmente as do início do ano”, orienta Ana Paula. No Digio é possível controlar conta corrente e cartão de crédito no mesmo aplicativo.

A executiva reconhece que é um desafio enorme avaliar onde deixar pelo menos grande parte do dinheiro, mas isso é importante para conseguir gerir entradas e saídas e planejar os gastos, ainda mais os do primeiro trimestre do ano.

Quer fazer um excelente curso online sobre o assunto? Super indicamos o curso de finanças pessoais com o Antonio Walter, um dos maiores especialistas do Brasil sobre o assunto, clique aqui para saber mais.

Leia também: 3 habilidades de comunicação para se tornar um líder respeitado

tag: dinheiro, economia, financas, financas pessoais, financeiro, planejamento, planejamento financeiro,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.