Profissionais de comunicação revolucionam mercado de picolés

Com fábrica e sede instaladas em São Paulo (SP), a Dio Mio Gelato, criada pelos jovens empresários Marcelo Faggioni, 29 e Rafael Carmino, 25 há um ano, produz oito sabores de sorvetes com pequenos níveis de gordura, pouca incorporação de ar e baixo teor calórico. A marca, atualmente, distribui seus produtos em pontos estratégicos, como restaurantes, bares e universidades da capital paulista como a ESPM. A história poderia até parecer comum se este fosse o ramo de especialidade dos sócios, mas, na verdade, ambos são profissionais da comunicação e deram duro para construir a empresa e realizar o sonho de empreender.

Para produzir os picolés genuinamente italianos, os empresários realizaram uma infinidade de testes até chegar ao portfolio ideal para apresentar os produtos aos consumidores. “Desde o princípio, tínhamos vontade de construir um produto que pudesse unir três atributos: maciez, leveza e pedacinhos dos ingredientes. Para essa equação dar certo, além de trabalharmos com maquinário de primeira linha, importamos toda nossa matéria-prima dos melhores fornecedores da Itália”, explica Faggioni. Confira a entrevista exclusiva de A Magia do Mundo dos Negócios com os empresários:


Como surgiu a ideia do empreendimento?
A Dio Mio começou a ser idealizada em fevereiro de 2014, depois de questionarmos com frequência a nossa rotina de trabalho. A empresa foi criada para virar o jogo. Queríamos fazer algo que fizesse mais sentido em nossas vidas e, de tabela, poder atuar num segmento que é sinônimo de felicidade. Foi nessa hora que, depois de algumas conversas, a descendência italiana falou mais alto e nos trouxe exatamente onde estamos hoje.

O que faziam antes? Por que decidiram mudar?
Marcelo Faggioni é designer gráfico de formação pela ESPM e atuou por 10 anos em agências de comunicação, nas áreas de estratégia de marca e planejamento. Rafael Carmino é formado em Publicidade e Propaganda pela Mackenzie e atuava no departamento de marketing da Spectrum Brands – multinacional detentora de marcas como Rayovac, George Foreman e Remington.

Decidimos mudar porque queríamos tocar um negócio da nossa forma, com os valores que acreditamos, estabelecendo uma relação verdadeira com o consumidor. A gente sente falta dessa relação em nosso dia a dia; e sabe que as marcas que estão no mercado pecam bastante nisso.

gelato mio

Sócios criaram toda identidade e receitas originais da marca. (Divulgação)

Como as antigas experiências profissionais agregaram valor a seu produto?
Começamos o projeto pelo que sabíamos fazer de melhor: marca, definição do nome, identidade visual e todos os seus desdobramentos. Além disso, fomos pra rua e estudamos muito o consumidor e as opções que estavam disponíveis. A gente considera que entender o território que gostaríamos de ocupar – com clareza – antes de desenvolvermos o produto, seria fator determinante para tudo se encaixar mais pra frente.

Como elaboraram as receitas?
Antes de desenvolvê-las, precisamos de muito estudo, e bota muito nisso. Não é fácil entender a química envolvida por trás do sorvete. Por isso, muitos testes foram feitos em nossa  própria casa, para depois, com o maquinário correto, serem finalizados na fábrica da empresa.

Era um processo de tentativa e erro até chegarmos ao resultado esperado. Na etapa final, contamos com um técnico para realizarmos o ajuste fino que precisávamos, e aí então, apresentarmos nossos oito sabores ao mercado.

Como explicam este sucesso da marca em tão pouco tempo?
Tempo suficiente para planejar o início da marca com cuidado e velocidade suficiente para corrigir a rota quando necessário.

Marcelo e Rafael – fundadores

Qual o faturamento médio?
Em 12 meses de negócio, chegamos numa média de R$ 30 mil ao mês.

Tiveram dificuldades no início?
Muita dificuldade. Demora um pouco para você se habituar e entender a rotina de indústria, que é muito maior do que a realidade que vivíamos. Vendas, produção, gestão de estoque, logística, faturamento, entrega, cobrança, são etapas fundamentais do processo e que foram se encaixando gradativamente com o passar do tempo. Mas a gente considera que ainda está no início, afinal, acabamos de fazer nosso primeiro aniversário, então ainda temos muito a aprender nos próximos anos.

Quais são os planos para o futuro?
Estabelecer uma rotina de lançamento de produtos, de forma sazonal;
Iniciar a produção de massa;
Abrir uma loja conceito, em São Paulo, para transmitirmos os valores e experiência de marca que queremos ao nosso consumidor.

Pretendem expandir a outras regiões do Brasil?
Sim, mas por enquanto, daremos prioridade ao estado de São Paulo.

Uma mensagem para quem está começando a empreender.
Utilize cada “não” que você receber como combustível para, tão logo, chegar ao “sim”. Quanto mais irregular for o seu terreno, mais firme será a sua estrutura.

tag: Dio Mio Gelato, inovação de mercado, jovens empreendedores, negócios, picolé, sorvete italiano,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.