Raízen protocola pedido de IPO, que pode ser um dos maiores da história

A Raízen apresentou um pedido de IPO à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), podendo movimentar entre R$ 10 bilhões e R$ 13 bilhões

Raízen protocola pedido de IPO, que pode ser um dos maiores da história
Reprodução

A Raízen apresentou nesta quinta-feira (3) um pedido de oferta pública inicial (IPO) à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que pode ser o maior da história. Já que, a verba deve movimentar entre 10 bilhões de reais e 13 bilhões de reais, o que a tornará uma das maiores verbas da história do B3.

A empresa é uma joint venture entre a Cosan e a Shell, com registro no mercado secundário da Bolsa de Valores Brasileira. A emissão será de ações preferenciais, sem direito a voto, mas com prioridade no pagamento de dividendos.

Nos últimos dias, a empresa fez uma série de mudanças em preparação para a oferta. Uma delas é a mudança da razão social: Raízen Combustíveis S.A. passa a se chamar Raízen S.A .. A empresa é controlada pela Raízen Energia.

A oferta deve buscar investidores interessados ​​no tema do desenvolvimento sustentável, principalmente por mostrar ao mercado a presença da empresa no setor de biocombustíveis.

“Nós nos consideramos um líder mundial em biocombustíveis e uma referência global em sustentabilidade, na vanguarda de importantes tendências internacionais em transição energética desenvolvendo soluções com baixa emissão de carbono”

informa a companhia em seu formulário de referência, que foi atualizado junto com o protocolo da oferta.

Empresa Pioneira no Mercado

No documento, a empresa destaca ainda que é uma das “maiores e pioneiras” empresas integradas de energia renovável do mundo.

Segundo a empresa, seu tamanho e presença de ativos são vantagens competitivas importantes. Raízen também enfatizou que mesmo durante a recessão econômica do Brasil 2015-2016 e a crise durante a pandemia, ela obteve resultados resilientes mesmo quando a economia na região onde opera se deteriorou severamente.

Para o futuro, a empresa disse que espera apostar na produção de etanol de segunda geração, biogás e “pellets” de cana. O objetivo da empresa é exportar para países como a Alemanha, onde esse material substituirá o carvão na geração de energia.

Além disso, o grupo também afirmou que busca expandir a geração de energia solar através da chamada geração distribuída. Ademais, a empresa busca investir na expansão da rede de lojas de conveniência dos postos de gasolina e aumentar o engajamento digital do consumidor.

Desempenho da Raízen

A Raízen informou ainda que no exercício fiscal encerrado em 31 de março, sua receita líquida foi de 1,5 bilhão de reais, uma redução de 35,4% em relação a 2020.

Segundo a empresa, seu desempenho foi afetado pela queda nas vendas de etanol, gasolina e QAV no ano passado, ambos causados ​​pela pandemia. Ao mesmo tempo, a empresa destacou que o volume de vendas de açúcar aumentou 145% na mesma faixa em que passou a ser comercializado por terceiros.

O Ebitda foi de 8,356 bilhões de reais, queda de 7,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. A receita líquida total da empresa foi de 114,602 bilhões de reais, uma redução de 5% em relação ao ano anterior.

Devido ao ciclo de produção da empresa relacionado à safra, o exercício fiscal anual da Raízen começa em 1º de abril e termina em 31 de março do ano seguinte. Portanto, os números fornecidos pela empresa referem-se a 2021.

LEIA TAMBÉM: Twitter começará o teste piloto de anúncios a partir de hoje

tag: bolsa de valores, ipo, maiores IPO da história, Raízen, raizen,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.