Startup norueguesa Flyr acha que a pandemia é o momento perfeito para lançar uma companhia aérea

A nova startup Flyr aposta no setor aéreo e espera conseguir grandes descontos em aeronaves e mão de obra

Startup norueguesa Flyr acha que a pandemia é o momento perfeito para lançar uma companhia aérea

Apesar de o setor aéreo estar enfrentando uma das maiores crises da história da aviação devido aos impactos da pandemia, um grupo de bravos CEOs acreditam que agora é o momento perfeito para lançar uma nova companhia aérea.

A startup norueguesa de vôos low cost, Flyr, pretende voar pela primeira vez nos próximos meses. 

“Não estaríamos [estreando] sem a pandemia”, disse Tonje Wikstrøm Frislid, CEO da startup da aérea low cost norueguesa Flyr.

Além da empresa norueguesa, a startup britânica Flypop quer oferecer passagens de baixo custo para voos de longo curso.

Assim como a Flypop, a Breeze Airways também está se preparando para iniciar suas atividades em 2021. A startup Breeze Airways é a última aposta criada pelo empresário da aviação David Neeleman, que fundou também outras companhias aéreas, como a JetBlue, Azul e WestJet.

As startups apostam que as falhas e demissões sofridas por outras companhias aéreas durante a pandemia abrirão novas áreas de oportunidade.

Eles também esperam obter grandes descontos em aeronaves de fornecedores desesperados e poder escolher pilotos, tripulações de companhias aéreas e pessoal de apoio.

“Uma pandemia é o melhor momento para abrir uma companhia aérea porque os custos estão muito baixos”, afirmou o CEO da Flypop, Nino Judge. “Tudo está pela metade do preço – o que você precisar está pela metade do preço”.

Mercado da Aviação

No entanto, o mercado depende do momento de recuperação. De acordo com a International Air Transport Association (IATA), essa pandemia afetou gravemente a indústria da aviação. Durante o período de pico do isolamento social em abril do ano passado, o tráfego global de passageiros caiu 94%.

As restrições de viagens impostas pelo governo, juntamente com a enorme quantidade de dinheiro gasto pelas companhias aéreas para continuar as operações (IATA estima que seja de 140 bilhões de dólares americanos entre abril de 2020 e dezembro de 2020) tiveram consequências surpreendentes.

Assim, 22 companhias aéreas com uma frota de mais de 10 aeronaves encerraram suas operações em 2020. A Flybe, a SunExpress na Alemanha, a Latam na Argentina e a Tigerair na Austrália são vítimas desse cenário.

Para IATA, na melhor das hipóteses, até 2021, o tráfego de passageiros retornará a 50% do nível anterior. Mas, segundo o órgão do setor, o surgimento de novas variantes do coronavírus e a lenta implementação da vacinação podem resultar em um fluxo anual de apenas 38% do nível de 2019.

“Não parece o melhor momento para abrir [uma companhia aérea]”, opina John Strickland, analista independente da JLS Consulting. “Não sabemos quando virá a recuperação. E Não sabemos exatamente como o mundo será. É um risco tremendamente alto”.

Vantagens das Companhias Aéreas

1. Aviões com Desconto

A frota é um dos maiores custos das companhias aéreas, e os aviões atualmente estão muito baratos. Uma vez que, existe a possibilidade de comprar um avião a um preço favorável.

Segundo a CNN Business, a Flypop está pagando até 50% menos para alugar seus Airbus A330 em comparação com os concorrentes no mercado de voos de longa distância, disse o CEO Judge.

Já a Breeze e Flyr disseram que também estão aproveitando os cortes de preços de 40% a 50% nos arrendamentos de aeronaves devido à pandemia.

Para o CEO Judge da Flypop, as novas companhias aéreas também têm vantagens por terem menos dívidas, o que significa que a economia de custos é repassada diretamente aos passageiros.

2. Mão de obra disponível

Muitas companhias aéreas existentes reduziram drasticamente os custos para equilibrar suas contas. Ou seja, milhares de pilotos, tripulantes e executivos estão desempregados.

Para a nova companhia aérea, isso significa poder contratar mão de obra experiente e despreocupada por um preço baixo.

“Temos uma equipe realmente sênior”, conta Judge, da Flypop. “Se eu fosse retirar esses profissionais de seus contratos anteriores, teria pagado uma fortuna no passado. Os custos agora são metade do que eu teria que pagar”.

LEIA TAMBÉM: O Facebook mostra a tecnologia de leitura da mente que espera usar um dia com óculos inteligentes

tag: aviação, companhia aérea, flyr, setor de aviação, STARTUP, startup norueguesa, STARTUPS,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.