Uso de drones está ajudando no combate à caça de elefantes no Quênia

DigitalTech

dez 9, 2019

0
Com sensores de calor, os drones conseguem identificar a presença de caçadores de presas

Populares pelo seu efeito afrodisíaco na Ásia, as presas dos elefantes são alvo de desejo de muitos caçadores, já que rendem valores altíssimos na venda. Isso faz com que os animais, constantemente, estejam ameaçados pelo comércio ilegal na região. A extração do marfim pode chegar a 100 mil dólares o quilo.

No Quênia, um aliado está ajudando na preservação dos elefantes. O desenvolvimento de softwares e drones está possibilitando a identificação de caçadores ilegais em ambientes nativos dos animais.

Por meio de sensores de calor, os objetos captam o movimento dos caçadores ilegais na região. Com isso, 300 deles já foram presos desde 2017 e a caça foi diminuída pela metade em território queniano.

Aqui no Brasil, a tecnologia está sendo usada a favor da preservação de biomas como a Mata Atlântica. “É uma solução interessante para coibir a caça ilegal e proporcionar mais dados para a conservação das florestas”, diz Colman O’Criodain, analista da WWF.

LEIA TAMBÉM:

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.