Wine compra Cantu Importadora por R$ 180 milhões e reforça negócio B2B

A Wine vai adquirir 100% da Cantu Importadora por 180 milhões de reais. A importadora continuará operando de forma independente, após a aquisição.

Wine compra Cantu Importadora por R$ 180 milhões e reforça negócio B2B
Wine compra Cantu Importadora por R$ 180 milhões e reforça negócio B2B / (Imagem/Reprodução)

A Wine está adquirindo a Cantu Importadora por 180 milhões de reais, de acordo com fatos relevantes publicados em seu site de relações com investidores.

A Cantu tem 15 anos de história operacional, além de uma forte influência regional, tem mais de 15.000 pontos de venda e 11.000 clientes, que “agregarão potência e capilaridade ao negócio B2B da Wine”

A Suzana Barelli, crítica de vinhos, foi a primeira pessoa a anunciar a aquisição publicamente em seu Instagram.

Atualmente, Cantu trabalha com marcas exclusivas como Suzana Balbo, Sutter Home, Ventisquero, Quinta de Bons Ventos, Ramon Bilbao, Yellow Tail e Chilano.

De acordo com o comunicado, a Cantu continuará operando de forma independente, com a participação de Peterson Cantu, presidente da importadora, que tem filiais em Pernambuco, Rio de Janeiro e Minas Gerais, além de um armazém principal em Santa Catarina.

A Wine vai adquirir 100% da Cantu. Os primeiros R$ 54 milhões serão pagos na data de conclusão da transação. E os R$ 126 milhões restantes serão pagos em duas parcelas, a primeira em março de 2024 e a segunda em julho de 2024. No entanto, alguns ajustes poderão ser feitos.

Crescimento da Wine

A Wine originalmente planejava abrir o capital, mas retirou-se da oferta e optou por solicitar o registro como uma empresa de companhia aberta.

Além disso, a empresa se prepara para fazer uma oferta restrita sob a instrução 476, com a meta de arrecadar cerca de 700 milhões de reais, segundo o NeoFeed.

A cotação 476 não envolve a análise e divulgação do prospecto pela CVM. Por outro lado, é limitado a investidores profissionais, com um total de 75 participantes, dos quais apenas 50 podem concretizar o investimento.

Em entrevista ao NeoFeed, Marcelo D’Arienzo, CEO da Wine, anunciou em março, que o negócio online de vinhos também pretende emitir debêntures de 120 milhões de reais, cujos recursos serão usados ​​para aquisições.

“Estamos olhando desde ativos no mercado offline, com capilaridade para nos aproximar do consumidor, até negócios que acelerem a nossa plataforma de tecnologia”, disse D’Arienzo, na ocasião. “O mercado de vinhos vai passar por uma consolidação e somos um player óbvio para liderar esse processo.”

Em 2020, a receita da Wine aumentou quase 40%, para 450 milhões de reais. Segundo a consultoria Ideal, as vendas no mercado brasileiro de vinhos aumentaram 31% no ano passado, com 501,1 milhões de litros comercializados.

Além disso, o clube de assinatura do Wine é responsável por mais de 40% da receita e tem 240.000 assinantes em 2020. Entre outros benefícios, todos os planos disponíveis permitem principalmente desfrutar de um pacote mensal com vinhos designados e um desconto de 15%.

O restante da receita da Wine é dividido em e-commerce, lojas físicas, vendas únicas no campo B2B e receita gerada por aplicativos da empresa, que adicionaram mais de 1 milhão de downloads e representaram mais de 60% das vendas digitais.

LEIA TAMBÉM: Amazon anuncia novo centro logístico em SP, o 9º no Brasil

tag: cantu, cantu importadora, vendas b2b, wine,

avatar

Marcus Bernardes Fundador

A Magia do Mundo dos Negócios – 2013

ARTIGOS RELACIONADOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.